• Principal
  • Notícia
  • Quando a Páscoa e o Natal se aproximam, mais americanos procuram 'igreja' online

Quando a Páscoa e o Natal se aproximam, mais americanos procuram 'igreja' online

Padres e ministros há muito notam um aumento acentuado na freqüência à igreja em torno dos dois feriados cristãos mais importantes, Natal e Páscoa. Alguns deram um nome àqueles que frequentavam os cultos apenas nessas épocas do ano - 'Chreasters' - e as igrejas lançaram campanhas para fazer com que eles comparecessem com mais regularidade.


Pesquisas no Google por

Mais americanos pesquisam 'igreja' na Páscoa do que em qualquer outra época, com a temporada de Natal geralmente ocupando o segundo lugar, de acordo com dados do Google Trends entre 2004 e 2013. A ferramenta Google Trends mede a popularidade de um termo de pesquisa em relação a todas as pesquisas nos Estados Unidos Estados. Os dados são relatados em uma escala de 0 a 100.

A Páscoa é o feriado mais antigo e importante do cristianismo, durante o qual os cristãos celebram a ressurreição de Jesus três dias depois de sua crucificação. Em termos litúrgicos, o Domingo de Páscoa é uma festa móvel. Sua observância, que ocorre ao final de um período de penitência de 40 dias, jejum e auto-exame denominado Quaresma, muda dentro de um intervalo de tempo a cada primavera. Entre 2004 e 2013, a Páscoa foi em março três vezes e abril sete vezes.

Pesquisas no Google por

Em 2013, a maior parcela de pesquisas por 'igreja' ocorre na semana do domingo de Páscoa, seguida da semana do Natal e da quarta-feira de cinzas, dia que marca o início da Quaresma.

A menor parcela de pesquisas ocorre na semana de Ação de Graças em novembro de cada ano, e os meses de verão apresentam níveis consistentemente baixos de interesse em pesquisas na web por 'igreja'. Os sociólogos também relataram níveis baixos de freqüência à igreja durante os meses de verão. Laurence Iannaccone e Sean Everton analisaram os registros semanais de frequência de igrejas e argumentaram que as pessoas têm menos probabilidade de ir à igreja quando o tempo está bom, em um artigo de jornal intitulado 'Nunca em dias ensolarados'.