Ramadan um dilema para alguns jogadores da Copa do Mundo

Jogadores Muçulmanos da Copa do Mundo

O Ramadã, que começa neste fim de semana, é amplamente observado por muçulmanos em todo o mundo com jejum do nascer ao pôr do sol. Isso cria um dilema potencial para os jogadores muçulmanos na Copa do Mundo cujas seleções avançaram para a fase eliminatória do torneio, já que o nono mês do calendário islâmico e a Copa do Mundo se sobrepõem pela primeira vez desde 1986.


Embora a composição religiosa exata das listas das equipes não seja clara, os muçulmanos representam 11% da população coletiva dos 16 países que passaram da fase de grupos do torneio, de acordo com dados de 2010 do relatório Global Religious Landscape do Pew Research Center. Vários jogadores proeminentes em times que ainda estão vivos - incluindo o alemão Mesut Ozil, o francês Karim Benzema e o suíço Xherdan Shaqiri - são muçulmanos praticantes. A seleção da Argélia, país formado por 98% de muçulmanos, avançou com um gol de Islam Slimani e enfrenta a Alemanha na segunda-feira.

Enquanto alguns atletas muçulmanos optam por jejuar durante a competição, outros vêem espaço para interpretação no Alcorão, que instrui 'quem quer que esteja presente, deixe-o jejuar o mês, e quem quer que esteja doente ou viajando, vários outros dias '. Alguns líderes islâmicos endossam o jejum em uma data posterior, especialmente se for 'uma oportunidade única na vida para um atleta', disse um imã londrino ao site de futebol Goal.com em 2011. O Alto Conselho Islâmico Egípcio até emitiu uma fatwa antes das Olimpíadas de Londres de 2012, permitindo aos atletas comer e beber durante o Ramadã.

No conjunto, os países que avançaram além da fase de grupos são predominantemente cristãos. Junto com os 11% que são muçulmanos, a população combinada dessas nações é 74% cristã e 12% não religiosamente afiliada (e 1% ou menos judia, hindu, budista ou outra), de acordo com nosso relatório de 2010.

Argélia e Nigéria são os únicos países ainda vivos na Copa do Mundo que estão fora da Europa e das Américas, ambas regiões com grande maioria cristã. A Argélia é a única com maioria muçulmana, enquanto a Nigéria tem quase o mesmo número de cristãos e muçulmanos.


Todos os vencedores anteriores da Copa do Mundo são nações de maioria cristã.