Existem algumas normas básicas para uma correcta instalação de sensores de uma estação meteorológica.

A acreditação de valores, principalmente de temperatura (a variável que é mais comummente abordada no quotidiano), obedece a um rastreamento de condições próprias que devem ser respeitadas, para que os valores possam ser correctamente considerados.

 

Começando pela composição de uma estação meteorológica e respectivas condições de instalação emanadas pela Organização Meteorológica Mundial, podemos encontrar:

-Termómetro: Sensor que mede a temperatura do ar e que deve estar entre 1,20m e 2,00m acima do solo. Geralmente está instalado a 1,50m de altura (dentro de um abrigo de radiação de cor branca para que a temperatura medida seja a do ar equivalente à sombra, eliminando a influência das radiações directa e difusa). Esta variável mede-se em ºC ou ºF.

-Higrómetro: Sensor que geralmente está instalado dentro do mesmo abrigo de radiação descrito atrás, à mesma altura e que se destina à medição da humidade relativa do ar. Esta variável mede-se em %.

-Anemómetro: (sensores de direcção e velocidade): Sensor que geralmente está instalado 10 metros acima do solo e se destina à medição da intensidade do vento (em nós ou km/h) e da sua direcção (em graus).

-Barómetro: Sensor que se destina à medição da pressão atmosférica no local, valor que é relativizado à altitude do nível médio das águas do mar, através de fórmulas criadas para o efeito e cuja redução relativizada em altitude permite a sua comparação entre diferentes locais, tendo também um papel indispensável ao serviço da aviação. Esta variável mede-se em hPa ou milibares.

-Udómetro/pluviómetro: Sensor que mede a intensidade e totais acumulados de precipitação no local, seja ela em estado líquido ou sólido. Esta variável mede-se em milímetros, litros/m2 ou polegadas.

-Sensor UV: Permite a medição da intensidade da radiação solar e a sua integração na escala UV.

-Sensor de radiação solar global/piranómetro: Permite a medição da radiação solar global (soma da radiação solar directa + difusa), assim como discernir o período em que houve radiação solar, por meio tecnológico. Esta variável mede-se em W/m2.

-Heliógrafo (apenas em estações clássicas e de tratamento manual): Globo em vidro que permite, através da aplicação de gráficos adequados ao mesmo, registar em papel os períodos horários em que houve radiação solar directa no parque de instrumentos. Permite totalizar as horas em sol numa resolução de uma décima de hora (6 minutos).

  

O parque de instrumentos (designação dada ao local onde se situam todos os instrumentos, normalmente num polígono ajardinado) deve estar exposto a todos os quadrantes de forma natural, longe de fontes de calor artificiais, solos não-naturais e materiais de grande acumulação de energia em forma de calor.

Todos os instrumentos devem ser instalados livres de obstáculos que possam interferir na leitura dos valores obtidos.

Não devem existir paredes ou edifícios próximos nem solos muito artificiais contíguos, por questões de manipulações de temperatura, humidade e deturpação dos valores de direcção e velocidade do vento, por também se gerarem vórtices causados pelos contornos dos edifícios.

Cumpridos todos estes critérios-base, eliminamos ao máximo a influência antrópica nos valores obtidos, e tentamos reproduzir os valores mais naturais e próximos possíveis daqueles que obteríamos em meio rural, num terreno ou num local ajardinado.

A influência da cidade no clima urbano será sempre sentida e é alvo de alguns estudos, embora seja sempre uma prioridade – principalmente para efeitos de climatologia – tentar reproduzir as condições de instalação que as estações meteorológicas têm desde a data da sua primeira instalação em dado local, permitindo que as séries de dados (algumas com cerca de 1 século) continuem a ser comparáveis entre si e consideradas homólogas, por se ter verificado a conservação das condições iniciais.

Existem algumas estações meteorológicas oficiais com este longo legado, tal como a estação de Lisboa/Geofísico ou a de Lisboa/Ajuda, que está representada neste artigo.