Algumas notas para desmistificar alguns pormenores e percebermos em que divisões se repartem as nuvens quanto à análise que delas se faz. Desta forma, e com um objectivo lúdico, será possível distinguir todas elas e tornar mais óbvias as suas diferenças, pondo fim aos obstáculos de comunicação que por vezes se colocam.

 

Existem 3 famílias de nuvens:

 

-> CH (Cloud) High / Nuvens Altas Não provocam precipitação e são compostas geralmente por cristais de gelo, indicam a presença ou achegada de humidade e podem “prever” a chegada de mau tempo, muitas vezes misturam-se com contrails.

 

Exemplo de nuvem alta (cirrus):

-> CM (Cloud) Medium / Nuvens Médias- Podem provocar precipitação, indicam uma atmosfera já mais instável e dinâmica, podendo ajudar a “prever” a chegada de chuva.
No Verão podem indicar possibilidade de trovoada.

 

Exemplo de nuvem média (altocumulus):

-> CL (Cloud) Low / Nuvens Baixas- Podem provocar precipitação, no Verão formam-se em resposta ao calor ou à chegada de ar mais húmido, e no Inverno costumam aparecer em dias em que a as temperaturas em altitude são mais frias ou em dias de nevoeiro.

 

Exemplo de nuvem baixa (cumulus):

 

Sub-divisões quanto à análise de nuvens:

 

 

Critérios para CL, CM, CH:

As alturas especificadas são medidas desde o solo do local onde nos encontramos até à base da nuvem, e não ao topo.

Conversão:        1 pé (ft) = ~0,3 m.