Mais uma notícia que passa despercebida e parece trivial, mas não é.

A Antártida, devido às suas características geográficas, tem mantido uma resiliência muito maior face ao aqueciemento global, até superior ao que inicialmente se pensava ser possível.

No entanto, durante os últimos 10 anos temos verificado uma gradual mudança e neste momento, tanto o gelo marinho, como as temperaturas do ar estão a começar a responder de forma evidente no sentido de se iniciar um maior degelo e se verificar uma subida bastante notória das temperaturas médias.

À medida que quebramos a barreira dos 410 ppm (partes por milhão) de CO2, iniciamos um feedback com mais libertação de vapor de água e outros gases com efeito de estufa.
Os efeitos de aquecimento do planeta vão expandindo-se e agravando-se.

O aquecimento do planeta coloca riscos… Saberemos lidar com eles no futuro? Valerá a pena correr esses riscos em vez de tomar atitudes simples que os possam evitar?

Não vale a pena ser catastrofista, mas estas questões têm que ser bem averiguadas e para nós parece bastante óbvio que seria essencial começar a pensar mais no restauro e maior equilíbrio com o meio ambiente.