A demagogia em relação ao clima e às alterações climáticas vai aumentar tendo em conta o contexto  que temos vindo a observar um pouco por todo o lado, com cada vez mais desinformação, demagogia e completa falta de literacia cientifica.
Vamos deixar aqui a nossa opinião baseada em factos concretos.

Existe uma enorme máquina de propaganda que infelizmente destrói a essência do espírito cientifico em prol do interesse de grandes corporações.

Infelizmente, essa propaganda não se concentra apenas no lado de quem diz não acreditar nas alterações climáticas, mas também há alguma manipulação e desinformação do lado de quem se diz preocupar com o ambiente.

É claro que, na vasta marioria, quem nega as alterações climáticas são pessoas associadas às grandes industrias petrolíferas e às corporações que beneficiam do capitalismo descontrolado, e que no fundo querem continuar, em prol do dinheiro e do consumismo, enquanto continuam a destruir os recursos do planeta.

Mas do lado de quem se preocupa com estes problemas (mesmo que honestamente) há uma tendência para o catastrofismo exagerado, há pessoas e industrias que também fazem muito dinheiro à custa dos medos e das novas tecnologias verdes…

A ignorância é geral e as más práticas “caem” de todos os lados!

Aqui pelo BW não somos corrompidos pelo dinheiro e não queremos manipular ninguém, a nossa opinião é clara, e olhando para os dados podemos dizer que, estamos a atravessar uma fase em que o planeta está a aquecer e há fortes ( 95% de certezas ) indícios de que existe contribuição humana neste processo.

Em Portugal as temperaturas médias observam uma subida de 1 a 2ºC, e a nível global observam-se subidas de cerca de 0.5 a 1ºC, com maior escala no Ártico.
Estas subidas não são causadas na totalidade de forma direta pelo C02, mas por outros mecanismos de feedback, nomeadamente o aumento da concentração de vapor de água e metano, que são gases muito mais potentes a reter a energia solar, e que surgem em cadeia devido ao aquecimento iniciado pelo CO2, amplificando os seus efeitos.

Para já, podemos afirmar que as alterações ainda não são tão extremas quanto o que alguns modelos e cientistas previam, e há que ainda há espaço de manobra para reverter o processo, pelo menos de forma a evitar uma derrapagem para um cenário grave.
Esperamos que nos próximos anos a consciência ambiental aumente e que as pessoas percebam que dar cabo do planeta a troco de uns trocos só irá levar à destruição do que é de TODOS.

Respeitar a natureza, não brincar com as dinâmicas naturais e privilegiar o conhecimento e a ciência, em vez da ganância e do poder, serão a única maneira de conseguir manter em bom estado as 7000 milhões de pessoas que hoje vivem hoje em dia  neste planeta