No próximo dia 5, termina o inverno solar, a partir daí, os dias vão crescer ao ritmo mais elevado do ano, até dia 5 de Maio.

Mas apesar dos dias maiores e da maior incidência de energia solar, as temperaturas, normalmente, só iniciam uma subida mais relevante, a partir de março ou abril, isto deve-se à influência do Oceano Atlântico no nosso clima.

O oceano atinge as temperaturas mais baixas precisamente no final do inverno/início da primavera, pelo que as regiões próximas deste mantêm-se frescas até meados da primavera.

Este ano, em particular, temos um padrão que irá favorecer a entrada de massas de ar instáveis vindas do oceano durante grande parte de fevereiro e até início de março, pelo que este interregno, no final de janeiro e início de fevereiro, foi mesmo isso… uma pequena pausa.

Estamos expectantes se este período de instabilidade que se avizinha, a partir de dia 10, traz mais precipitação também ao Sul do território continental, já que o Norte e Centro, têm sido as regiões mais beneficiadas, com a queda de precipitação desde dezembro.
Infelizmente, com o sul, ainda a ficar numa situação de seca… já que não podemos controlar o tempo, resta-nos fazer “figas” para que desta vez haja mais chuva a chegar ao Sul.