Podemos desde já fazer um BALANÇO das previsões de curto prazo e seguimento do ciclone LESLIE.

Tivemos um erro de algumas dezenas de quilómetros na trajetória do ciclone, à qual corresponde um erro de igual escala quanto à posição da área de risco vermelho.

Segundo a análise atual, estes erros estão associados a desvios de trajectória relacionados com o timing da transição extratropical e interacção com a dinâmica do fluxo em altitude.

Estes erros são normais dadas as características extremamente dinâmicas e complexas destes sistemas.

Vale o mérito pela identificação bastante razoável das áreas de maior risco global.