É com algum repúdio que continuamos a ver o debate relativo às alterações climáticas a ser debatido fora da esfera cientifica, e cada vez mais dentro da esfera política e das crenças estereotipadas de pessoas doentes que apenas procuram alimentar as suas ilusões de poder, domínio e os seus interesses pessoais.

A nossa opinião acerca dos supostos acordos que vão sendo feitos, e das supostas “políticas” que se vão tomando são claras.

È quase tudo treta, no fundo não se vê nada concreto, e o dinheiro é sempre posto à frente de todos os outros valores imateriais.

O acordo de Paris é na sua essência uma futilidade, infelizmente o que coordena as supostas preocupações ambientais, tais como quaisquer outras, é o lucro das grandes corporações, e este acordo servia apenas para atirar areia aos olhos das pessoas… um acordo que não passava de uma salganhada muito bem publicitada, que no fundo não ia ter consequências praticamente nenhumas no que toca à proteção do meio ambiente.

Não é nestes acordos que reside a solução para os problemas, é na ciência, é no estudo do que se passa, e é na educação com factos e com pensamento crítico de todos nós para que se possam promover as atitudes e consciência necessárias à melhoria do sistema em que vivemos…estar quieto à espera que os lideres digam coisas bacocas ou que nos ofereçam palmadinhas nas costas é de uma imbecilidade e falta de noção imensas.

Precisamos de acções concretas, de mudar a nossa relação com o meio natural, de alterar a nossa forma de vida colectiva de forma a que haja uma gestão mais harmoniosa dos recursos naturais!

Claro que há muito por discutir, claro que não há certezas, claro que o estudo do clima está sujeito a constantes melhorias e inovações, mas tudo isso tem de ser discutido na esfera científica e não na esfera política e populista e quase ao nível de reality show.

Face aos dados, e tendo em conta as previsões, o clima está a mudar, o ambiente está a reagir ao que nós lhe temos feito… não interessa se a culpa é 100% humana ou 70%, não interessa se uma simulação de um modelo dá +1ºC ou +3ºC ou se alguém no meio de toda a enormidade destes estudos, no meio de toda a teoria se enganou numa vírgula ou fez uma previsão mais catastrófica ou mais suave.
O que interessa é que o fundamento teórico destas previsões é sólido, e apenas há uma conclusão que podemos retirar, que é imperativo tomar medidas efectivas e concretas para preservar a nossa relação com o meio ambiente e evitar os efeitos nocivos que temos imposto .

Não será óbvio que a poluição e a falta de apreço pelo meio ambiente é algo essencialmente auto-destrutivo?

Felizmente há alguns projetos agora a surgir  que prometem gerar medidas e investigação que vão suportar uma melhor gestão dos recursos, e deverão ajudar a reverter os efeitos mais nefastos da acção humana no planeta.

Por exemplo: https://www.drawdown.org/solutions