Em dias de tempo estável, vento fraco e regime anticiclónico, especialmente entre Outubro e Março, temos muitas vezes a formação de camadas de ar estáveis, por vezes, frias e húmidas, que estão também associadas à formação de nevoeiros.

Isto sucede com mais incidência em vales e no interior, embora possa abarcar praticamente todo o território continental em algumas situações.

A presença do anticiclone sobre o território faz com que o vento seja fraco e com que haja ar relativamente quente em altitude, que impede o ar frio que se forma junto à superfície (por acção das longas noites de Inverno) se escape.

O resultado é que não só temos ar estagnado e nevoeiros, como também temos um acumular de poluentes, em especial, nas cidades.

Com este tipo de condições, os vírus e bactérias aumentam o seu tempo médio de vida ativa, tornando-se depois mais eficaz a sua propagação em meios com muitas pessoas.

Por estes motivos e nestes dias, ocorre uma degradação da qualidade do ar, contribuindo para um maior risco para a saúde pública.

Assim que o anticiclone se desviar e começar a entrar mais vento ou chuva, irá ocorrer uma dispersão de todo o ar poluído que se acumulou e as condições voltam a normalizar.